Dicas de Viagem

Como Planear um Interrail #3 – Define a tua Rota!

Foi no Verão de 2017 que realizei um sonho, que simultaneamente se tornou uma das experiências mais enriquecedoras e incríveis da minha vida: fazer um interrail.

E o que é afinal um Interrail? Um Interrail é uma viagem feita pela Europa usando como principal meio de transporte o comboio. Há no entanto, também alguns barcos e autocarros incluídos no passe, embora sejam em menor quantidade. Já um intrarrail é uma viagem que se limita apenas a um país.

No entanto, a verdade é que quem pretende fazer um interrail depara-se com uma imensidão de informação na internet que por vezes nos consegue deixar mais confusos que esclarecidos. Posto isto, e tendo por base as dificuldades que enfrentei enquanto tentava planear as minhas semanas pela Europa, resolvi fazer uma trilogia de publicações com aqueles que para mim foram os passos chave para a delineação da minha viagem:

#1 – Que Passe Devo Comprar?

#2 – Escolher o Ponto de Partida

#3 – Define a tua Rota

Este é o artigo que vem completar esta trilogia!

E então, como se define uma rota quando tudo é uma possibilidade? Aqui não há regras. Pega num mapa e começa a definir os traços da tua viagem. Queres visitar capitais? Queres antes conhecer os sítios menos turísticos? Queres ter um bocadinho de tudo? Tudo é válido, és tu quem manda.

Depois de definires o ponto de partida e decidires para onde queres ir a partir daí, a maneira mais fácil de veres que comboios tens e os respetivos horários é instalando a aplicação “Rail Planner”. Aqui poderás ver não só a quantidade de comboios que tens, como os seus horários, a duração de cada viagem, ou se é necessário trocares de comboio (fazer escalas) durante a mesma. Vai ser fundamental teres esta aplicação instalada no teu telemóvel o tempo todo.

É necessário fazer reserva dos comboios antes da viagem?

Na grande maioria dos casos a resposta é não. Basta entrares no comboio que desejas, e quando o revisor passar, mostras-lhe o teu passe interrail que ele irá validar a viagem.

No entanto, alguns comboios precisam de reserva. Esta informação também se encontra na aplicação “Rail Planner”. Estes comboios vão ter uma informação de “Reservation Compulsory” e estarão marcados a vermelho, ao contrário dos que não precisam de reserva que estão marcados a verde. Ainda assim, muitos dos comboios com reserva necessária não terão nenhum custo adicional. Este custo extra surge principalmente nos comboios noturnos e vai depender das condições em que desejarás viajar (um lugar deitado será naturalmente mais caro do que um lugar sentado). Dando-vos o meu lado da experiência, fiz uma viagem noturna sentada para poupar 10€ e não foi a melhor noite de sempre. É fazível, mas até os jovens ficam com dores de costas, garanto-vos. Se voltasse atrás, sem dúvida que teria comprado o lugar deitado, mas isso será uma decisão que dependerá única e exclusivamente de vocês se optarem por apanhar comboios noturnos.

Devo planear detalhadamente a minha rota?

Durante o meu interrail muitos foram os jovens, dos mais variados países com quem me cruzei. Vinham de todos os cantos do mundo e faziam todo o tipo de viagens. Encontrei quem viajasse sozinho ou quem viajasse em grupos de 10 pessoas. Do mesmo modo, encontrei quem viajasse com a viagem detalhadamente programada ou quem viajasse ao sabor do vento e fosse definindo as coisas à medida que os dias iam passando. O que vos posso dizer é que ambas as opções são válidas e que a decisão depende exclusivamente de vocês.

Posso-vos dizer também que programei o meu interrail ao pormenor. A principal razão para esta decisão foi porque queríamos ter todos os alojamentos reservados e garantidos antes de partirmos. Éramos um grupo só de raparigas e a ideia de termos de dormir ao relento por falta de abrigo era algo que nos assustava. É bom ser aventureiro, sem dúvida, mas nem sempre as grandes capitais europeias são lugares 100% seguros para um pequeno grupo de raparigas dormir na rua. Claro que encontrei inclusive muitas raparigas a viajarem sozinhas e que o faziam e era assim que a viagem fazia sentido para elas. Acho que isto é o principal: que faça sentido para vocês, tendo em conta a vossa personalidade e com o que se sentem confortáveis. Mais que tudo, o importante é que no final seja uma aventura que se torne memorável pelas melhores razões!

Como sei quantos dias ficar em cada cidade?

Se forem das pessoas que gostam de estudar a viagem antes de ir, esta pode ser uma dúvida que surge.

Enquanto estava a fazer a minha própria rota, começava por ver que atrações queria visitar em cada lugar, a distância entre elas, e daí fazia uma estimativa do tempo que a visita da cidade me demoraria. Depois, em função disto, percebia não só o número d enoites que queria ficar em cada cidade como também a localização que preferia para o alojamento. À medida que ia definindo os pontos do meu interesse ia marcando-os no Google Maps, o que facilitou muito perceber se a localização de cada alojamento que via era ou não benéfica para mim e para o que queria fazer na cidade.

 

Agora, se já definiste a tua rota, estudaste o percurso e reservaste os alojamentos é altura de partires! Lembra-te que o principal é fazeres por que seja memorável!

Todas as informações oficiais, bem como os preços dos passes, podem ser consultadas no site dos Comboios de Portugal ou no site do Interrail.

Lembrem-se, está um bonito dia para ser feliz!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: