Quem Sou Eu?

Esta é talvez a questão com que me debato há mais tempo. Posso começar por dizer que sou médica se é que me posso intitular assim. Terminei o meu curso de Medicina em 2019 e uma coisa posso dizer: ninguém sai médico da faculdade de Medicina. Ninguém. Nem mesmo os melhores. No máximo saímos com uma vasta gama de conhecimentos médicos desta área e daquela. Mas ser médico, no sentido literal da palavra, é muito mais que isso: é uma forma de vida que resolvemos abraçar. E digo-vos mais: é assustador. Assusta a cada doente, a cada consulta, a cada dia que passa. E estamos cientes que nos devemos preocupar no dia em que deixar de assustar, porque é nesse dia que os erros baterão à nossa porta. E nenhum médico quer errar.

Aliado a isto, surgiu também o estereótipo de que ser médico é também um contrato de exclusividade que resolvemos abraçar com o trabalho. Eu, pelo menos, quero acreditar que não é assim tão simples. Porque por muito que saiba que estou no sítio certo, também sei que sou muito mais que a Medicina. Pelo menos, ainda sou. Sou o amor pelos que me rodeiam, a paixão que tenho ao conhecer cada cantinho do mundo ou o entusiasmo presente em cada livro que leio ou em cada nota que toco.

E é esta a missão a que me proponho com este blog: garantir que me lembre sempre quem sou e de onde vim. E que houve pelo menos um dia em que eu acreditei que era possível.

Espero que as minhas paixões cheguem até vós e que se tornem em parte, um pedaço também do que são. Entre urgências, consultas, agulhas e bisturis, estarei deste lado para e por vocês.

Está um bonito dia para ser feliz!